Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Ter iniciativa sexual, uma atitude difícil para muitos casais

Em algum lugar ao longo do caminho, as coisas mudaram. Agora, fazer o sexo acontecer se tornou uma tarefa árdua. Você está começando a pensar que é mais fácil não tentar.

14 MAR 2020 · Leitura: min.
Ter iniciativa sexual, uma atitude difícil para muitos casais

Ouço essa história frequentemente. Estes são dois cenários comuns que ouço de casais heterossexuais que lutam com suas vidas sexuais. Deixe-me adivinhar — costumava ser fácil iniciar o sexo com seu parceiro. Em algum lugar ao longo do caminho, porém, as coisas mudaram. Agora, fazer o sexo acontecer se tornou uma tarefa árdua. Você está começando a pensar que é mais fácil não tentar.

Cenário 1

Ela sempre iniciava no sexo, ela se sentia empoderada, com muita energia sexual.

Quase da noite para o dia e sem entender o porquê, ela parou de se aproximar dele. Muitas vezes, essa mudança acontece quando um casal se muda, fica noivo ou se casa. De repente, ela quer ser a receptora de energia sexual e sentir seu poder e desejo sexual.

Ela quer sentir desejada de uma maneira mais primitiva e sensual. Mas ele está perdido. Esse nunca foi seu estilo sexual com ela, e parece que toda abertura sexual que ele tenta, ela rejeita. Isso deixa os dois se sentindo incompreendidos e insatisfeitos. Quando eles chegam ao meu consultório, fazem sexo mensalmente — se tiverem sorte.

Cenário 2

Ele mais frequentemente iniciava o sexo.

À medida que o relacionamento deles envelhecia e o sexo se tornava um pouco menos emocionante, ela começou a rejeitar as propostas dele por intimidade. Por um tempo, os dois pensaram que era um pontinho inesperado na tela do radar sexual e imaginaram que as coisas acabariam voltando ao normal.

Depois de um tempo, porém, ele se cansou da falta de interesse dela e parou de iniciar. A princípio, eles não discutiram — ele se perguntou se ela havia notado a mudança. Eventualmente, ela perdeu suas tentativas de iniciar e ficou alarmada.

Agora ele quer que ela inicie, mas isso a deixa constrangida. Nunca, foi algo que ela estava confortável fazendo. Quando eles chegam ao meu consultório, ninguém se sente desejado. O sexo permanece parado.

Como a iniciação sexual se torna tão complicada? Parece que iniciar o sexo deve ser tão simples. Vocês se amam; vocês estão comprometidos um com o outro — qual é o problema?

Muitas vezes, no início de um relacionamento, o sexo é tão quente que ninguém pensa realmente em iniciação. Mas à medida que a luxúria de um novo relacionamento diminui, os casais precisam negociar mais conscientemente a logística de fazer o sexo acontecer. Em vez de o sexo ser a decisão do corpo, que ocorre na forma de luxúria, a iniciação torna-se a competência da mente.

Do ponto de vista da mente, sempre há uma razão para não iniciar. A tagarelice incessante da mente tem o prazer de pesar — muitas vezes de várias perspectivas. “Este é um bom momento para iniciar?” “Ela também quer sexo agora?” “Ele está com tesão?" "Estou com tesão?" "Talvez eu deva esperar até novela dela terminar?” "Talvez eu deva tomar um banho primeiro?" Talvez seja tarde demais. Preciso acordar cedo... mas já faz mais de duas semanas desde que fizemos sexo!

Um segundo desafio é o nível de vulnerabilidade envolvido no início do sexo. Quando iniciamos, estamos nos comunicando muito mais do que aparenta. Nós nos colocamos lá fora, essencialmente desprotegidos. Estamos reconhecendo que temos uma necessidade muito pessoal e que desejamos nosso parceiro. A rejeição de nosso parceiro, como a falta de iniciação, sugere que não somos sexualmente desejáveis ou desejados.

Dessa forma, a rejeição sexual - assim como raramente inicia o sexo - se torna uma lousa em branco sobre a qual projetamos todos os nossos medos mais profundos.

A repetida rejeição de nosso eu sexual - esse aspecto mais pessoal de nosso ser - oferece prova de que tudo o que achamos vergonhoso ou inaceitável sobre nós mesmos é verdadeiro.

É claro que ninguém quer sexo toda vez que seu parceiro inicia. A rejeição ocasional não costuma ser muita. É a rejeição repetida que se torna prejudicial para a conexão íntima.

A distância emocional se intensifica, o que apenas diminui o desejo por sexo. À medida que os casais se tornam menos conectados, o sexo que eles têm se torna mais chato. Por fim, eles correm o risco de se juntar aos 20% dos casais que têm um casamento sem sexo.

Quando isso acontece, os relacionamentos se tornam menos íntimos. Afinal, o sexo é o ato mais íntimo em nossos relacionamentos e a maneira mais profunda em que a maioria de nós dá e recebe amor. Isso tem muito a perder.

Mas não tema, há muito o que você pode fazer para impedir que esse cenário se desenrole! Primeiro, você terá que falar sobre isso. Você aprenderá algo novo com seu parceiro discutindo iniciação - mesmo que não note problemas com esse aspecto da sua vida sexual. Ótimas perguntas que vocês dois devem responder incluem:

  • O que você gosta e não gosta sobre como eu inicio?
  • Como você prefere que eu inicie? Há algo que você gostaria que eu tentasse?
  • O que eu faço que faz você querer iniciar e o que faz você não querer iniciar sexo?

Muitos casais assumem que, se iniciar o sexo é simples no início do relacionamento, deve sempre ser simples. Mas isso não é realista. Depois que um relacionamento não parece mais novo, os dois parceiros devem fazer esforços para manter sua vida sexual interessante e viva.

Isso significa que eles não podem simplesmente esperar que seus corpos simplesmente desejem sexo, como fizeram no início do relacionamento. Em vez disso, uma vida sexual satisfatória exige esforço - às vezes, mesmo quando você realmente não sente que tem energia para se dedicar a ela.

Qual é a melhor maneira de iniciar o sexo?

Bem, é claro, isso varia para todos. Mas alguns conselhos gerais podem incluir:

  • Não pense demais! Não estrague o desejo de sexo com a conversa mental que apenas amortecerá qualquer desejo que você esteja sentindo.
  • Não pergunte ao seu parceiro se eles querem fazer sexo na mesma voz que você usaria para perguntar se eles querem outra xícara de café. Use uma voz no quarto - uma voz que seria considerada assédio sexual se você dissesse a um colega de trabalho: "Gostaria de outra xícara de café?"
  • Tente uma tentativa mais sensual de conexão - como um movimento corporal glamouroso ou um forte contato visual flagrante. Use seu corpo para convidar seu parceiro a se conectar. Na maioria das vezes, isso é mais sexy que as palavras.
  • Certifique-se de revezar o início. Não fazer isso aumenta as chances de você viver um dos cenários que descrevi acima. Todos precisam se sentir desejados, portanto, procure o seu parceiro de vez em quando.

Lutar com a iniciação é mais comum em relacionamentos de longo prazo do que muitas pessoas imaginam. Mas não use seu desconforto como desculpa para ignorar o problema. Seu romance pode depender disso.

Escrito por

Clarete Galdino

Psicóloga Número do CRP: CRP 06/137217

Psicóloga clínica com pós-graduação em neuropsicologia e neuropsicopedagogia. É especialista em terapia de casal e relacionamentos seguindo a abordagem da terapia cognitiva-comportamental. No entanto, seu estilo como terapeuta é eclética, atuando de forma flexível, porque cada paciente é diferente.

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre terapia de casal