Psicoterapia breve e intervenção na crise

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Muitas pessoas me perguntam o que é, como atua e a quem se destina a psicoterapia breve.

21 Set 2019 · Leitura: min.
Psicoterapia breve e intervenção na crise

O objetivo da Psicoterapia Breve é facilitar e retomar o processo evolutivo do paciente, interrompido ou alterado pelo surgimento de uma situação de conflito interna ou externa a ele, buscando seu contínuo desenvolvimento ao longo da vida.

A queixa, ou motivo da consulta trazida pelo paciente, é entendida como derivada de conflitos anteriores, que por sua vez são identificados com a exploração do passado. O padrão de conduta anterior sinaliza a origem do conflito, permitindo que paciente e terapeuta estabeleçam o(s) foco(s) da terapia, ou seja, a área na qual o tratamento irá se desenvolver.

Os resultados positivos da Psicoterapia Breve são constatados em situações em que se pode estabelecer claramente um conflito, em que há motivação do paciente para a terapia, mantida e estimulada por uma boa aliança terapêutica, cultivando no indivíduo seu potencial mais elevado como ser humano.

Dentro da modalidade de Psicoterapia Breve, existem várias técnicas, diferentes entre si pelas intervenções psicoterapêuticas e pela natureza das mudanças que almejam, desde mudanças mais significativas em termos estruturais, até as que se limitam à resolução parcial do conflito, suficiente para reduzir a ansiedade.

As Psicoterapias Breves se diferenciam das terapias tradicionais por não serem indicadas nos casos de psicopatologia mais grave, por de fato terem um tempo de duração mais curto e por trabalharem com foco(s) pré-estabelecido(s) antes do início do processo psicoterapêutico propriamente dito. Assim sendo, as psicoterapias breves têm objetivos mais limitados e são indicadas quando as dificuldades do paciente são circunscritas à uma área específica da personalidade.

A Intervenção na Crise é um procedimento terapêutico de atendimento de emergência, capaz de produzir alívio imediato da ansiedade, ajudando o paciente a entender e a lidar com a realidade que se apresenta.

Na crise o indivíduo se descompensa e embora mantenha certo juízo crítico e contato com a realidade, sua capacidade de respostas fica parcialmente prejudicada. A redução ou remoção da situação interna geradora da crise, ajuda o paciente a lidar com o conflito com mais eficácia, mesmo que o evento externo se mantenha.

Enquanto a Intervenção na Crise lida com o aqui e o agora, a Psicoterapia Breve inclui exploração do passado para uma visão mais clara do presente. Essas terapias são indicadas quando o objetivo é estabelecer o controle emocional do paciente diante da crise ou conflito, combatendo a ansiedade, buscando o equilíbrio e a percepção das diferentes causas e origens desses conflitos.

No momento atual há a necessidade emergente de se buscar ajuda profissional mais imediata diante das situações de competitividade, frustrações, perdas, insegurança, baixa auto-estima, stress, enfim, situações que fazem parte do cotidiano, que provocam sobrecarga e desequilíbrio emocional.

O objetivo terapêutico é entender o paciente e motivá-lo para sua melhor resposta, que é única para cada indivíduo e o ponto de partida para o auto-conhecimento e auto crescimento como ser humano.

Escrito por

Psicóloga Rosemary P. de Moraes e Silva

Deixe seu comentário