Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Por que é mais difícil fazer amigos depois dos 30?

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Vários especialistas em comportamento coincidem em que é mais difícil fazer amigos depois dos 30. Você saberia dizer por que? Confira o artigo e descubra os principais motivos.

4 JUN 2018 · Leitura: min.
Por que é mais difícil fazer amigos depois dos 30?

Se você perguntar a uma pessoa de 30 anos (ou mais) se está exatamente como se imaginava uma década atrás, é bastante provável que a resposta seja não. Metas profissionais que não foram alcançadas, sonhos de viajar, amigos que ficaram pelo caminho… Para muitos, esse último ponto é o que mais pesa.

Seja por mudança de cidade, porque houve um casamento e filhos por meio, por diferenças irreconciliáveis, quando se perde um amigo, tratar de preencher esse vazio parece ser uma tarefa mais árdua a partir de certa idade. Já parou para pensar por que isso acontece? Reflita com a gente:

Não seria por falta de oportunidade

Aos 30, é possível conhecer gente nova e fazer contatos em diferentes esferas: trabalho, cursos, academia, durante viagens, etc. Entretanto, mesmo que muitas vezes pareça haver conexão, e há promessas de repetir o encontro em outras ocasiões, normalmente a relação "esfria".

Quando não é assim, é muito difícil que essa convivência amadureça e que brote daí uma amizade sincera, dessas que sabemos que podemos contar nos momentos mais complicados da nossa vida.

Agenda cheia e correria

Por mais que tentemos manter tempo livre para encaixar atividades prazerosas, à medida que envelhecemos, os compromissos vão aumentado e a liberdade social que se tinha até então, com ampla disponibilidade para a diversão, vai ficando para trás.

Além disso, é importante entender que há, sim, uma mudança de prioridades de vida, e possivelmente um aumento no nível de exigência. Já não é qualquer pessoa que se encaixa no papel "amigo".

shutterstock-373830868.jpg

A inevitável decepção

Para os que têm 30 anos ou mais, já houve tempo suficiente para viver muita coisa, situações positivas e outras nem tanto. Com certeza, algum amigo ficou no caminho justamente por haver se transformado em uma decepção, em uma pessoa que traiu sua confiança quando você mais precisava.

É difícil se recuperar de uma experiência assim, e uma das consequências diretas é ser uma pessoa mais mais desconfiada.

O tripé da amizade

Em teoria, para que um conhecido se transforme em amigo, é fundamental que se cumpram 3 condições:

  1. proximidade
  2. contato repetido
  3. contato espontâneo, nem sempre planejado

São três fatores que contribuem para que ambos os envolvidos se sintam confortáveis para começar a construir uma relação de confiança.

O outro lado da moeda

Como nem sempre há apenas um lado na história, muitos especialistas coincidem em que, apesar da dificuldade de estabelecer novos vínculos, as pessoas com mais de 30 começam a dar mais valor aos vínculos de amizade que perduraram, fortalecendo os laços com essas pessoas.

Também é importante ressaltar que a maioria das amizades que nascem na infância costuma superar qualquer dificuldade justamente porque coincide com um período de máxima exigência em relação à amizade, que é sinônimo de irmão, de comunhão, de parceiro inseparável.

__________________________________

Depois disso, se você está se perguntando como se comportar para conseguir fazer novas amizades, é fundamental entender que se você não está disponível e aberto para o encontro, esse não acontecerá. Se permita vivenciar novos momentos, dar gargalhadas, abrir espaço na agenda, etc. Tome a iniciativa de se relacionar. Em cada encontro surge uma nova possibilidade de transformação. Você é capaz de construir novas amizades!   Mas que não vale à pena abrir mão do respeito e dos seus valores só para ter pessoas a seu redor. 

Fotos: MundoPsicologos

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário

últimos artigos sobre dicas de psicologia