Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Pensamentos obsessivos de cunho sexual: um tipo de TOC

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Para aqueles que acham que TOC sempre está associado com manias de limpeza e organização, vale a pena a leitura deste artigo! Há variações nos tipos de TOC envolvendo até sexualidade.

20 MAI 2020 · Leitura: min.
Pensamentos obsessivos de cunho sexual: um tipo de TOC

A maioria das pessoas conhece a denominação TOC, abreviação de transtorno obsessivo compulsivo, mas normalmente o transtorno é associado a manias por limpeza ou por organização. O que gera bastante estranhamento e afeta inúmeras pessoas é o tipo de TOC nomeado como: pensamentos intrusivos e dúvidas patológicas.

Diferente dos comportamentos de rituais que costumam ser mais óbvios aos olhos do portador e de terceiros, este tipo de TOC se destaca por possuir como principal sintoma funções cognitivas, fazendo com que o portador sofra intensamente com pensamentos intrusivos e persistentes de cunho sexual.

Para aquele que sofre deste transtorno, viver é sentido de maneira assustadora, sempre temendo o próximo pensamento que poderá surgir e quais as consequências sentirá diante dele.

O que caracteriza o TOC?

A obsessão é caracterizada por pensamentos, impulsos ou imagens persistentes e inapropriados que causam intensa ansiedade. A tentativa de aliviar a tensão e ansiedade costuma dar sequência a comportamentos compulsivos e repetitivos.

Todo tipo de comportamento pode ser adotado na tentativa de aliviar a tensão, e comum em quadros de TOC, tais comportamentos costumam virar verdadeiros rituais no anseio pela anulação de pensamentos e alívio nos níveis de estresse e ansiedade.

Que tipo de pensamentos são frequentes neste tipo de TOC?

O portador deste tipo de TOC tende a sofrer intensamente com pensamentos persistentes relacionados a dúvidas sobre sua adequação em seu relacionamento, questionamentos sobre a fidelidade de seu parceiro, temores agressivos e sexuais – temendo ser violento, causar danos a terceiros e até mesmo ser pedófilo ou pensamentos associados a religião temendo por estar pecando e os possíveis castigos que pecar pode envolver.

Outro tipo de TOC que vale a pena mencionar, é o TOC HOCD, a sigla é a abreviação em inglês de Homosexual Obsessive Compulsive Disorder podendo ser nomeado em português vulgarmente como "TOC Gay". Nele, o portador sofre intensamente com dúvidas e temores sobre sua sexualidade, questionando sua orientação sexual, temendo virar gay em seu futuro, pensamentos repentinos de cenas homossexuais e desconforto intenso na presença de uma pessoa do mesmo sexo que possa despertar alguma atração ou alguma admiração, como se por sofrer com tais pensamentos questionasse suas habilidades de controle e de fraquezas.

Por ser um tipo de TOC, vale ressaltar que sofrer com esses temores não tem associação com o fato da possibilidade de ser GAY, podendo o portador estar em um relacionamento sólido e em toda sua história ter tido convicção de sua heterossexualidade. Mesmo diante de toda convicção que possa ter sentido ao longo da vida, os temores invadem os pensamentos de maneira intrusiva causando intensa perturbação e não requerendo que exista algum gatilho para que aconteçam, o que pode causar inúmeros prejuízos na funcionalidade de sua rotina, seja profissional, social ou afetiva.

Algumas compulsões que podem ser associadas a essas obsessões são verificações de sinais no próprio corpo de possível excitação, gerando intensa angústia e que pode motivar o isolamento social por todo desconforto que envolvem os pensamentos intrusivos somados as compulsões de verificação.

Causas e tratamentos

Ainda se desconhece a causa do TOC mas hoje são considerados fatores biopsicossociais, envolvendo composições genéticas e fatores ambientais.

O tratamento para este tipo de TOC é o mesmo que para os demais: é indicado que o paciente realize acompanhamento psicológico por ser um processo de autoconhecimento e fortalecimento emocional, possibilitando a compreensão da relação de traumas com o desenvolvimento do transtorno e para maioria dos casos é necessário acompanhamento psiquiátrico com medicações apropriadas para o controle de compulsões e impulsos.

Escrito por

Maitê Hammoud

Ver perfil
Deixe seu comentário
2 Comentários
  • Luciana Oliveira

    Deu pra ter uma compreensão razoável sobre o assunto.

  • José Reinaldo

    Isso serve também para casos onde a pessoa sofre com pensamentos do possível desejo de ser trans? Ótimo texto!

últimos artigos sobre toc