MundoPsicologos.com
MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Os 10 tipos de transtorno de personalidade

Existem determinandos padrões de comportamento que indicam que a pessoa sofre um transtorno de personalidade. Você sabia que existem dez tipos diferentes? Veja os detalhes neste artigo.

30 Jan 2017 O psicólogo esclarece - Leitura: min.

São Paulo (cidade) São Paulo

11 Recomendações

ocê sabia que quase 12% dos suicídios registrados no Brasil estão associados a transtornos de personalidade? Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS), e reforçam a necessidade de falar sobre esse problema, para promover conscientização e ajudar na prevenção e no tratamento da doença. Por isso, a psicóloga Maitê Hammoud aborda detalhadamente esse tema.

Segundo o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM V), um transtorno de personalidade é um padrão persistente de experiência interna e comportamento que se desvia acentuadamente das expectativas da cultura do indivíduo, sendo difuso e inflexível.

Começa na adolescência ou no início da fase adulta, sendo estável ao longo do tempo, ocasionando sofrimento intenso, prejuízos significativos e provocando comprometimentos graves no funcionamento social, profissional, afetivo, dentre outras áreas importantes da vida da pessoa.

Um transtorno de personalidade manifesta-se nas seguintes áreas:

  • Cognição - formas de perceber e interpretar a si mesmo, outras pessoas e eventos
  • Afetividade - variação, intensidade, labilidade e adequação da resposta emocional
  • Funcionamento interpessoal
  • Controle dos impulsos

A seguir, descreveremos os 10 tipos de transtorno de personalidade e suas principais características:

1) Transtorno de personalidade paranoide

É marcado por um padrão de desconfiança e de suspeita tamanha, que as motivações dos outros são interpretadas como malévolas. Normalmente:

  • suspeita (sem embasamento suficiente) estar sendo explorado, maltratado ou enganado;
  • preocupa-se com lealdade e confiabilidade de amigos e sócios;
  • reluta em confiar nos outros temendo que informações poderão ser usadas maldosamente contra si;
  • percebe significados ocultos humilhantes e ameaçadores em comentários neutros;
  • é rancoroso;
  • percebe ataques a seu caráter reagindo com raiva;
  • tem suspeitas injustificadas em relação à fidelidade de seu parceiro(a).

shutterstock-289107095.jpg

2) Transtorno de personalidade esquizoide

Tem um padrão de distanciamento das relações sociais e uma faixa restrita de expressão emocional em contextos interpessoais. Uma pessoa com esse problema:

  • não deseja nem desfruta de relações íntimas (inclusive ser parte de uma família);
  • quase sempre opta por atividades solitárias;
  • manifesta pouco ou nenhum interesse em relações sexuais;
  • tem prazer em poucas atividades;
  • não tem amigos que não sejam familiares de primeiro grau;
  • mostra-se indiferente ao elogio ou crítica dos outros;
  • demonstra frieza emocional e distanciamento.

3) Transtorno de personalidade esquizotípica

É um padrão de desconforto agudo e capacidade reduzida para relacionamentos íntimos, além de distorções cognitivas ou perceptivas e excentricidades do comportamento. Com esse tipo de transtorno, habitualmente a pessoa:

  • possui crenças estranhas ou pensamentos mágicos que influenciam o comportamento (superstições, crença em clarividência, telepatia ou "sexto sentido");
  • tem experiências perceptivas incomuns, tais como ilusões corporais;
  • possui pensamento e discurso estranho (vago, metafórico, excessivamente elaborado ou estereotipado);
  • é desconfiada;
  • tem afeto inadequado;
  • tem comportamento ou aparência estranha, excêntrica ou peculiar;
  • não tem amigos próximos que não sejam familiares de primeiro grau;
  • tem ansiedade social, prejudicando o convívio com outras pessoas, temendo julgamentos negativos sobre si mesmo.

4) Transtorno de personalidade antissocial

Nesse tipo de transtorno de personalidade, tem-se um padrão de desrespeito e violação dos direitos dos outros. O transtorno é marcado por:

  • fracasso em ajustar-se às normas sociais relativas a comportamentos legais, repetindo atos que constituem motivos de detenção;
  • tendência a falsidade, normalmente utilizando nomes falsos e trapaças para ganho e prazer pessoal;
  • impulsividade e fracasso para fazer planos para o futuro;
  • irritabilidade e agressividade, com episódios de lutas ou agressões físicas;
  • descaso por sua segurança e dos outros;
  • irresponsabilidade no trabalho e obrigações financeiras;
  • ausência de remorso.

shutterstock-532084999.jpg

5) Transtorno de personalidade borderline

É marcado por um padrão de instabilidade nas relações interpessoais, na autoimagem e nos afetos, com impulsividade acentuada. Trata-se de um transtorno complexo, no qual há:

  • esforços desesperados para evitar o abandono real ou imaginado;
  • relacionamentos interpessoais instáveis e intensos, oscilando entre o amor e o ódio;
  • perturbação da identidade, possuindo instabilidade acentuada na autoimagem ou na percepção de si mesmo;
  • impulsividade em áreas potencialmente destrutivas (gastos, sexo, abuso de substâncias, direção irresponsável, compulsão alimentar);
  • recorrência de comportamentos, gestos ou ameaças suicidas ou automutilantes (se cortar, bater a cabeça na parede, se queimar, entre outros);
  • instabilidade no humor;
  • sentimentos crônicos de vazio;
  • raiva intensa e inapropriada ou dificuldade em controlá-la.

6) Transtorno de personalidade histriônica

Neste caso, o que há é um padrão de emocionalidade e busca de atenção em excesso. As principais características são:

  • desconforto em situações em que não é o centro das atenções;
  • a interação com os outros frequentemente é caracterizada por comportamentos sexualmente sedutores e provocativos;
  • expressão superficial das emoções;
  • utiliza a aparência física para atrair a atenção para si;
  • tem um estilo de discurso impressionista e carente de detalhes;
  • mostra autodramatização, teatralidade e expressão exagerada das emoções;
  • é sugestionável sendo facilmente influenciado pelos outros;
  • considera as relações pessoais mais íntimas do que na verdade são.

7) Transtorno de personalidade narcisista

Estamos falando da existência de um padrão de grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia. Alguns comportamentos habituais são:

  • sensação grandiosa da própria importância (exagera conquistas e talentos esperando ser reconhecido como superior);
  • preocupação com fantasias de sucesso ilimitado, poder, brilho, beleza ou amor ideal;
  • acredita ser "especial" e que só pode ser compreendido por pessoas ou instituições especiais e de condições elevadas;
  • demanda admiração excessiva;
  • sentimento de possuir direitos (expectativas de tratamento especial favorável, como sentir-se no direito de não aguardar em filas, por exemplo);
  • explorador em relações interpessoais, tirando vantagem dos outros para conquistar benefícios;
  • é invejoso ou acredita que os outros o invejam;
  • possui comportamentos arrogantes e insolentes.

shutterstock-708344941.jpg

8) Transtorno de personalidade evitativa

Tem um padrão de inibição social, sentimentos de inadequação e hipersensibilidade à avaliação negativa. Normalmente, uma pessoa com esse transtorno:

  • evita atividades profissionais que envolvem contato com outras pessoas por medo de críticas, desaprovação ou rejeição;
  • não se dispõe a envolver-se com pessoas a menos que tenha certeza de que será recebido de forma positiva;
  • mostra-se reservado em relacionamentos íntimos, temendo passar vergonha ou ser ridicularizado;
  • preocupa-se com críticas ou rejeição em situações sociais;
  • inibe-se em situações interpessoais novas em razão de sentimentos de inadequação;
  • vê a si mesmo como socialmente incapaz, sem atrativos e inferior aos outros;
  • reluta em assumir riscos pessoais ou se envolver em novas atividades temendo sentir-se constrangido.

9) Transtorno de personalidade dependente

Em casos assim, o padrão de comportamento é submisso e apegado, relacionado a uma necessidade excessiva de ser cuidado. A pessoa:

  • tem dificuldades de tomar decisões na vida cotidiana, demandando uma quantidade excessiva de conselhos;
  • precisa que os outros assumam as responsabilidades na maior parte das áreas de sua vida;
  • tem dificuldades em manifestar desacordo, temendo a perda de apoio e aprovação;
  • enfrenta dificuldades para iniciar projetos de vida por falta de confiança em si mesmo;
  • vai a extremos para obter carinho e apoio dos outros, a ponto de voluntariar-se para fazer coisas desagradáveis;
  • sente-se desconfortável e desamparado quando sozinho, por sentir-se incapaz de cuidar de si mesmo;
  • busca urgentemente outro relacionamento como fonte de cuidado e amparo logo após o término de uma relação;
  • possui preocupações irreais com medo de ser abandonado.

10) Transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva

Aqui se tem o padrão de preocupação com a ordem, o perfeccionismo e o controle. Os principais sinais são:

  • preocupação com detalhes, regras, listas, ordem, organização ou horários;
  • perfeccionismo que interfere na conclusão de tarefas;
  • é excessivamente dedicado ao trabalho e produtividade;
  • é excessivamente minucioso, escrupuloso e inflexível quanto a assuntos de moralidade, ética ou valores;
  • é incapaz de descartar objetos usados ou sem valor, mesmo que não possuam valor sentimental;
  • reluta em delegar tarefas;
  • adota estilo miserável de gastos considerando que o dinheiro deve ser acumulado para futuras catástrofes;
  • exibe rigidez e teimosia.

shutterstock-565766236.jpg

Tratamento para um trantorno de personalidade

Para o tratamento dos transtornos de personalidade é indicado que o acompanhamento seja multidisciplinar: psiquiátrico e psicológico. A procura pelo tratamento ainda é baixa em muitos casos. Um dos motivos está justamente no fato de as características que definem um transtorno da personalidade não serem consideradas problemáticas pela pessoa que o possui.

Por esse motivo, o olhar de um amigo ou parente próximo é extremamente valioso, já que desde fora é possível perceber a intensidade dos prejuízos e, então, motivar a busca por apoio profissional.

Fotos: por MundoPsicologos.com

2 Curtir

Deixe seu comentário

INFORMAÇÃO BÁSICA SOBRE PROTEÇÃO DE DADOS
Responsável: Verticales Intercom, S.L.
Finalidades:
a) Envio de solicitação ao cliente anunciante.
b) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços próprios.
c) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços de terceiros de diferentes setores de atividade, podendo implicar repasse dos dados pessoais a esses terceiros.
d) Segmentação e elaboração de perfis para fins publicitários e para prospecção comercial.
e) Gestão dos serviços e aplicativos oferecidos pelo Site ao Usuário.
Legitimação: Consentimento do interessado.
Destinatários: Está previsto o repasse dos dados aos clientes anunciantes para atender suas solicitações de informação sobre os serviços anunciados.
Direitos: Tem o direito a acessar, retificar e eliminar os dados ou se opor ao tratamento dos mesmos ou a alguma das finalidades, bem como outros direitos, como se explica na informação adicional.
Informação adicional: É possível consultar a informação adicional e detalhada sobre Proteção de Dados em br.mundopsicologos.com/proteccion_datos

Comentários (1)

Você não pode deixar de ler...