O amor sobrevive sem paixão?

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Amor e paixão são sentimentos diferentes, mas que caminham juntos: um precisa do outro para uma relação existir e crescer.

5 Jun 2019 · Leitura: min.
O amor sobrevive sem paixão?

Amor e paixão são sentimentos diferentes, mas que caminham juntos: um precisa do outro para uma relação existir e crescer. Uma pessoa dificilmente começa a amar alguém sem antes ter se apaixonado por ele, e uma relação não prospera se não existir amor.

Todas as nossas (vidas) absorvemos mensagens sobre relacionamentos românticos, como eles devem parecer e como devemos se sentir. Enquanto essas mensagens vêm de lugares diferentes (por exemplo, observações familiares, história pessoal, forças culturais como filmes e mídia), o seu efeito é o mesmo: eles criam expectativas para os nossos relacionamentos.

A tensão entre as mensagens de relacionamento e a realidade raramente é mais clara do que quando consideramos o papel da paixão nos relacionamentos.

Qual é o lugar da paixão no amor?

giphy.gif

A paixão é frequentemente descrita como um desejo intenso. Um dos primeiros modelos para o amor segmentou aspetos dos relacionamentos nos três pontos de um (triângulo) rotulada intimidade, compromisso e paixão.

A maioria das pessoas quer todas as três delas nos seus relacionamentos românticos, isto é, o amor consumado, que é representado pelo centro do triângulo. Nem todos os relacionamentos são mais bem caracterizados pelas três dimensões.

Por exemplo, relacionamentos incipientes geralmente são pouco comprometidos, mas cheios de intimidade e paixão ("amor romântico"); outros envolvimentos são pouco íntimos, mas elevados em comprometimento e afeto (desejo e loucura). O lado do triângulo que conecta intimidade e comprometimento, e representa baixa paixão, é rotulado como amor companheiro.

O amor companheiro envolve conexão emocional e uma decisão cognitiva de ser leal. Para muitos dos nossos relacionamentos, esse é o amor que procuramos, como para amigos íntimos, mentores de apoio ou "cônjuges do trabalho". Para relacionamentos românticos, as pessoas às vezes pensam que o amor não é suficiente.

Nesses casos, as pessoas podem enfatizar mais o desejo sexual do que a libido emocional ao considerar a paixão, e usam comportamentos sexuais como uma medida para o fascínio do seu relacionamento.

giphy.gif

Pode um relacionamento romântico ser saudável com baixos níveis de paixão?

Suponha que você se importa profundamente com o seu outro significativo, mas não se sente atraído por ele. Deve ficar num relacionamento com pouca paixão, mas bom em tantas outras frentes, ou sair?

Como alternativa, suponha que você se sente atraído pelo seu parceiro importante, mas é mais parecido com companheiros de quarto do que com parceiros românticos. Divide tarefas domésticas e outras responsabilidades, verifica regularmente umas com as outras e apoia umas, as outras.

Como avalia esses relacionamentos? Uma abordagem seria avaliar a estabilidade temporal do problema. Em outras palavras, se as suas necessidades de paixão não estão a ser atendida no seu relacionamento, isso é um problema permanente ou temporário?

Uma vez que a paixão se foi, está perdida para sempre?

Novas evidências sugerem que as crenças sobre a paixão podem moldar o curso do seu relacionamento. A ligação entre baixa paixão e baixo comprometimento tem considerável apoio empírico. Novas evidências sugerem que quando os indivíduos acreditam que a sua paixão pelo relacionamento não pode ser reacendida. A baixa paixão leva a um comprometimento ainda menor.

Em outras palavras, se as pessoas acreditarem que, uma vez perdida a paixão, ela desaparecerá, então o desejo menor pode acentuar um declínio na saúde do relacionamento ao impulsionar taxas mais baixas de comprometimento.

giphy.gif

Relacionamentos, no entanto, naturalmente experimentam os altos e baixos da paixão sexual.

giphy.gif

Por exemplo, a análise mostrou que as flutuações quotidianas na intimidade emocional. Podem estar ligadas à experiência de paixão dos casais nos seus relacionamentos. Os casais sentem mais paixão uns pelos outros têm maior probabilidade de ter sexo e relatam mais satisfação sexual nos seus relacionamentos depois de experimentar a proximidade.

Em outras palavras, a conexão emocional pode facilitar a paixão. A baixa paixão sustentada por um parceiro romântico pode ser um sinal de outros problemas de relacionamento; no entanto, deve ser visto à luz do contexto mais amplo de um casal.

A falta de intimidade sexual pode ser prejudicada por casais para os quais outros aspetos do relacionamento estão fortes; diferentes estágios de envolvimento trazem desigualdade de necessidade para a sexualidade.

Por Clarete Galdino, psicóloga inscrita no Conselho Regional de Psicologia de São Paulo
Escrito por

Clarete Duarte Galdino

Deixe seu comentário