Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Mães à beira de um ataque de nervos

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Qual mãe nunca brincou de casinha quando era criança? Sonhávamos com o dia em que a brincadeira se tornaria realidade: as trocas de fraldas, o bebê, a casa. E se tudo não sai como o sonhado?

10 MAR 2017 · Leitura: min.
Mães à beira de um ataque de nervos

Eis que o tempo passou e de repente... socorro! Sou mãe, dona de casa, esposa. Tantas atribuições para uma só pessoa. E infinitas tarefas também. Nossa jornada de trabalho parece não ter fim, não é verdade? Nossa rotina muda quando nos tornamos mães. Vivenciamos a felicidade de ter um bebê em nossos braços e, ao mesmo tempo, o medo do amanhã.

Nos primeiros meses de vida, a maioria dos bebês troca o dia pela noite. Cada mês é uma novidade. Tentamos nos adequar à nossa nova realidade. Muitas mulheres abdicam de atividades que outrora lhe eram prazerosas para se dedicarem aos afazeres domésticos e ao mais novo membro da família. O estresse, cansaço, medo de não estar sendo uma boa mãe, desleixo com a própria aparência, falta de tempo para si e para o marido, ansiedade, etc., tomam conta de nós.

Dá vontade de gritar, sair correndo, largar tudo. E não demora, bate o arrependimento. Mas, o que fazer?

1) Reconheça o seu limite

Cansou? Pare e descanse um pouco.

2) Converse com seu marido

Fale como se sente. Nessas horas, o papai é um importante aliado e pode te ajudar a cuidar do bebê, enquanto você relaxa, pinta as unhas, lava o cabelo.

3) Curta a criança

Aproveite o tempo que sua criança está acordada e brinque com ela, cante musiquinhas, leia estorinhas. Isso vai fazer bem para você e seu bebê.

4) Ligue para uma amiga

Combinem algo juntas, nem que seja um chá da tarde na sua casa ou na dela.

5) Saia com seu marido

Vovô e vovó adoram ficar com o netinho!

Muitas atividades produzem ocitocina, que é o hormônio do bem-estar. Algumas delas: ir ao cabeleireiro, ler um livro, conversar com as amigas, passear, caminhar, ir ao shopping, assistir um filme, ouvir música, namorar, fazer as unhas.

E lembre-se: curta cada momento e não exija muito de você. Respeite o limite do seu corpo. Não deu pra fazer hoje, faça amanhã. Se permita se permitir.

Escrito por

Alessandria Gomes

Ver perfil
Deixe seu comentário
2 Comentários
  • Thais mendonca

    Exceto quando a gente fica de segunda a sexta com os dois filhos, ambos com menos de 3 anos e sendo um deles um bebê chiador e ainda trabalhar fora enquanto o marido só vem pra casa sexta à noite e vai embora segunda de madrugada pra trabalhar... nesse caso eu surto mesmo, e choro, e tenho palpitação, dor nas costas tanto nas hérnias de disco da lombar quanto na cervical e pescoço, e dor de estômago e não consigo mais nem me olhar no espelho, aliás, hj, quinta à noite, ainda não consegui tomar banho sendo que a última vez que consegui lavar a cabeça foi domingo à noite. Às vezes vou dormir sem escovar os dentes por medo de acender a luz do banheiro e fazer barulho que acorde as crianças que acordam, sem exagero, entre quatro (2x cada) e sete vezes por madrugada.

  • Ethiane Bittencourt

    Excelente artigo. Retrata realmente o que nós mães de tempo integral vivenciamos a cada dia!

últimos artigos sobre psicoterapias