Fobias de relacionamentos: conheça as 3 mais comuns

Não é só nervosismo ou uma sensação de ter borboletas no estômago. Há pessoas que simplesmente têm horror ao compromisso e a relacionamentos. Saiba mais sobre esse tipo de fobia a seguir.

20 NOV 2017 · Leitura: min.
Fobias de relacionamentos: conheça as 3 mais comuns

Amor: uma palavra de apenas 5 letras, que costuma ser objeto de desejo de quase todos. Mas atenção: há fobias que interferem na vida afetiva, desencadeando crises de ansiedade quando a pessoa precisa lidar com o envolvimento afetivo.

Quer saber mais sobre o assunto e conhecer quais são as manifestações mais recorrentes? Veja a seguir três delas, comentadas pela psicóloga Maitê Hammoud. Entenda como agir caso se identifique com alguma e queira buscar tratamento.

1) Gamofobia: medo de se casar

Aqueles que desejam continuar solteiros podem até se arriscar a se intitular como gamofóbicos, mas o assunto aqui é sério. Gamofobia é a fobia específica que leva ao medo intenso de se casar.

O termo se origina das palavras gregas "gamos", que significa casamento, e "phobos", que indica medo e aversão. Quem sofre desta fobia sente muito além de um frio na barriga com a ideia de se casar e dar o próximo passo no relacionamento. Pessoas que têm gamofobia conseguem e até desejam viver um relacionamento sólido, compartilhando a vida e dividindo um lar com o seu parceiro, porém, a simples ideia de se casar desperta intenso terror, que vem seguido pelos sintomas de uma crise de ansiedade.

2) Filofobia: medo de se apaixonar

Quem sofre de filofobia (do grego, filo = amor e phobos = medo), tende a responder de maneira fóbica, se esquivando da possibilidade de aprofundar relações ou vínculos afetivos. Mesmo que exista interesse em aprofundar a relação com a pessoa que lhe despertou emoções, o medo é sentido como algo dominador, resultando no impulso de fuga e mal-estar.

Frequentemente, filofóbicos tendem a cultivar amores impossíveis, garantindo, assim, uma zona de conforto, já que não será preciso aprofundar a convivência em casos assim. O medo intenso também favorece a autossabotagem da relação. Se existe a sensação de estar se apaixonando ou se vinculando afetivamente a alguém, a pessoa provoca brigas ou assume comportamentos que motivam o desinteresse do parceiro, com o objetivo (consciente ou inconsciente) de que se afaste.

3) Malaxofobia: medo de amar temendo jogos amorosos ou sedução

Quem sofre desta fobia, tem um medo persistente, anormal e injustificado de estar envolvido em jogos amorosos. A pessoa simplesmente não suporta os gestos relacionados à sedução, e evita as carícias, as massagens, os beijos, as preliminares, etc.

Pensar em estar e se envolver com alguém já desencadeia crises intensas de ansiedade naquele que sofre de malaxofobia (do grego, malakós = suave, brando e phobos = medo, aversão).

shutterstock-575521990.jpg

Sintomas das fobias de relacionamentos

Os sintomas físicos das fobias mencionadas costumam ser similares aos enfrentados nos transtornos de ansiedade. Os principais são:

  • taquicardia
  • sudorese
  • tremores
  • náuseas
  • falta de ar, entre outros.

No que se refere aos sintomas psíquicos, podemos destacar:

  • Esquiva de conversas ou estímulos como filmes ou reportagens que possam levar ao tema casamentos ou relacionamentos.
  • Dificuldades para se expressar sobre o tema.
  • Pensamentos intrusivos e persistentes sobre seu temor, que consomem grande parte do tempo e energia da pessoa.
  • Sensação de perder o controle.
  • Temores relacionados à falta de autonomia e submissão.

Não existem estatísticas contundentes sobre a incidência dessas fobias na população mundial. O fato de muitas pessoas sequer identificarem que são vítimas de fobias, e que tal problema é algo tratável, não um traço da personalidade, contribui para o pouco conhecimento que se tem sobre a prevalência do transtorno.

Além dos prejuízos físicos e emocionais decorrentes dos quadros de ansiedade, as fobias sobre relacionamentos afetivos implica em prejuízos afetivos e costumar levar ao isolamento social.

shutterstock-614943218.jpg

Tratamento das fobias de relacionamentos

Pelo fato de a fobia ser um dos transtornos de ansiedade, o tratamento indicado é multidisciplinar, com acompanhamento psiquiátrico e psicológico. O suporte medicamentoso auxilia na diminuição dos sintomas físicos, enquanto a psicoterapia auxilia na compreensão da natureza do medo, contribuindo para o fortalecimento emocional e segurança no envolvimento afetivo.

O desenvolvimento desse tipo de fobia costuma estar vinculado a relações anteriores ou fatos marcantes, que fizeram a pessoa associar o relacionamento afetivo a algo negativo. Tais lembranças podem ser de conhecimento ou não daquele que as possui, sendo indispensável a reflexão sobre o tema, com o acompanhamento profissional. Só assim será possível identificar e superar o que causa o mal-estar.

Leia mais: Quais as diferenças entre medo e fobia?

Leia mais: Pistantrofobia: você sabe o que é?

Fotos: por MundoPsicologos.com

Escrito por

Maitê Hammoud

Psicóloga Número do CRP: 06/112988

Psicóloga clínica com curso de aperfeiçoamento em psicanálise, é especialista no atendimento de adolescentes, adultos e terceira idade. Seguindo a abordagem psicanalítica e da terapia breve, atua com foco em transtornos emocionais e comportamentais, relacionamentos interpessoais e questões familiares.

Ver perfil
Deixe seu comentário
7 Comentários
  • Ozeneide

    Amor: são 4 letras ...muito bom ...gostei

  • Rayssa amaral

    É possível te mais de uma das três fobias

  • Mikaelly Karina

    Eu tenho um pavor intenso de apresentar meu namorado a família e assumir um relacionamento ainda mais sério com ele, já cheguei a perder algumas noites de sono pensando no assunto Isso é normal?

  • Mendes

    Nao consigo me envolver com ninguém, morro de medo, e tento fracassar tudo, seja a distância ou pessoalmente, tenho agonia por quem encosta em mim de forma delicada e tenho medo de perder minha liberdade e só penso em minha vida acadêmica e profissional. Por esse motivo nao consigo nem sair do flerte, arranjo milhares de desculpa e ao mesmo tempo parece ótimo não ter ninguém.

  • Fernando Oliveira

    É exatamente isto o que me acontece, medo de perder minha liberdade. Medo não, pavor.

  • Camila Lima

    Preciso me tratar com urgência. Tenho pânico de me envolver e arrumar um namorado, simplesmente não aceito a ideia de ter alguém ao meu lado, penso apenas em minha vida profissional.

  • Danielle

    Muito interessante o tema, eu tenho dificuldades de me relacionar e depois deste artigo, vejo que esta na hora de buscar ajuda.

últimos artigos sobre fobia