Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Faxina da mente

Eu sempre me interessei pelo cérebro e neurociência, aliás foi isso que me fez optar pela psicologia. Aqui neste artigo vou falar um pouco sobre o funcionamento do nosso cérebro e dar dicas.

18 MAR 2018 · Leitura: min.
Faxina da mente

O ser humano é programado para acessar mais as memórias ruins do que as boas, por isso os pensamentos negativos são sempre os primeiros a chegar. Entendendo como este mecanismo funciona será mais fácil para você lidar com os pensamentos quando eles invadirem seu dia. Imagine você, no seu dia a dia e, de repente, vem um pensamento ruim na sua mente você acha que veio do nada, mas não, há sempre um disparador, algo que fez você acessar as redes de memórias, pode ser uma imagem, uma música, um cheiro, um som, um gosto ou até uma vibração energética, mas a nível inconsciente você captou e disparou os pensamentos negativos. Estes estímulos ativam a Amígdala - parte do Sistema Límbico - e está intimamente ligada as nossas emoções e sentimentos. Funciona mais ou menos assim:

1 – A Amígdala recebe o estímulo; 2 - Abre suas memórias, como se fosse um catálogo de roupas, buscando referências que tem haver com o estimulo que está recebendo. 3- Acessa seu Sistemas de Crenças. Frases como: não mereço ser amado, não presto para nada, não tenho o controle vem imediatamente a sua cabeça. 4 - Encontra o banco de dados com ainda mais memórias negativas. mistura tudo e depois 5 - Projeta em sua mente uma visão negativa de si mesmo, coisas ou pessoas baseadas nos acontecimentos passados.

Tudo isso em fração de segundos e se, não cuidarmos, estas crenças tomam conta rapidinho dos nossos pensamentos distorcendo assim a realidade presente. Costumo dizer que quando não é realizada uma "higienização" dos pensamentos, a pessoa tende a estar sempre no passado ou no futuro. E lembrando que , estar no passado gera: culpa, desconforto, arrependimento e depressão e estar no futuro gera: medo, insegurança e ansiedade. Portanto só temos o presente para nos trazer alívio e bem estar. O passado já passou e o futuro quando chegar já será presente. Agora, aprenda uma das formas de interromper conscientemente esse processo; 1 – Pare! Fale um NÃO internamente e interrompa o ciclo. 2 – Inspire profundamente. Sinta o ar entrando e saindo dos seus pulmões porque a falta de oxigênio no sangue induz ao estado de ansiedade ainda mais intenso. E prestar atenção na respiração é um modo eficaz de estar presente. 3 – Observe – o meio a sua volta. Conecte-se com o presente. Onde você está? A tendência do nosso cérebro é acreditar que aquilo tudo (mix de memórias) é agora e é a mais pura verdade!!! Perceba que nada está acontecendo. Sinta a brisa, o cheiro, ouça os sons. Reconecte com aqui e agora. 4 – Seja grato por ter conseguido interromper o pensamento negativo. Sabendo que a imagem e sentimento que seu pensamento projetou não é real.

Resumindo: Conecte-se com você, com seu corpo, ou faça algo legal: ligue para um amigo, ouça aquela música, dance. O segredo é: quanto mais alimentar o pensamento ruim mais você o deixa presente e no momento que colocar algo no lugar vai mudar sua vibração e vai, consequentemente, se sentir melhor. Ou alguma vez que você ficou ruminando pensamentos negativos faz algum bem? Não né! Então mãos a obra!!! Anote esses passos para melhor lembrar deles nos momentos ruins, ok. Se mesmo assim quiser ir mais a fundo nos seus sistemas de crenças e nas suas memórias negativas você pode fazer uma Terapia de Brainspotting™ um método neuropsicológico que trabalha dentro dos sistemas de crenças, no aqui e agora e na conexão com o corpo. Entre em contato com a gente.

Escrito por

Franciane Dal Pizzol Psicóloga

Ver perfil
Deixe seu comentário
2 Comentários
  • Antão silva

    Bom dia gostei muito nas suas colocações tentarei fazer nessa forma obrigado continue assim.

  • Wemessa Florentino

    Estou estudando tipos de aprendizagem e memória neste semestre da faculdade, foi bem somativo este artigo.Gostei muito pois trouxe informações mais informais, mas com conteúdo aplicado à neurociência.Gostei bastante!

últimos artigos sobre ansiedade