MundoPsicologos.com
MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Educar sem culpa 2

Neste artigo dou algumas dicas para os pais nos momentos em que estão nervosos, sobre como lidar com os filhos e favorecer sua educação.

27 Nov 2014 Dicas de psicologia - Leitura: min.

psicólogos

No primeiro artigo falamos sobre a necessidade de falar com as crianças usando uma linguagem descritiva, que revela não apenas aquilo que a criança faz, mas também o que os pais sentem. Esta técnica, a descrição, permite que as crianças evoluam, buscando soluções para seus problemas.

E quando se perde a paciência e se tem vontade de gritar e xingar? É natural que os pais percam a paciência em alguns momentos.

Quando chegamos em casa cansados(as) e queremos tranquilidade, é muito fácil perder a paciência com as crianças. Frases como "Eu não aguento mais", "Seus malcriados, parem de correr e gritar agora, antes que eu lhes deixe de castigo" que, além de qualificar, atacar e ameaçar, provavelmente não funcionaram.

Mais uma vez a descrição pode auxiliar, mas agora não seria uma descrição do que se vê e sim do que se sente: filhos eu estou cansado(a), e chegar em casa e escutar vocês gritando me faz sentir irritado e zangado(a) com vocês. Com isso as crianças não se sentirão menosprezadas ou culpadas e provavelmente atenderão ao pedido, já que a linguagem descritiva não agride a personalidade e permite a mudança.

Descrever os sentimentos sem insultar faz com que você não se sinta culpado por perder a cabeça e permite que as crianças entendam o que irritam os pais. Assim, cada vez mais, elas irão respeitar esses sentimentos.

E as ameaças, elas funcionam?

Esta tentativa de fazer com que as crianças respeitem as regras normalmente não funciona, a ameaça gera raiva e revolta. Uma boa técnica é, ao invés de ameaçar, dar opções às crianças. Por exemplo, quando uma criança quer brincar com tinta, as opções são dadas: você pode usar tinta no chão da cozinha ou lá fora, você escolhe.

Portanto, ao invés de ameaçar "Se você sujar a casa de tinta vou te colocar de castigo e tomar as tintas de você" o que costuma gerar raiva e revolta fazendo com que a criança pegue as tintas e suje algo, a oferta de opções poderia ser usada, trazendo tranquilidade à relação, além de incentivar a criança a fazer escolhas.

Até mesmo quando as crianças estão brigando entre elas por algum brinquedo ou videogame pode-se ao invés de ameaçar, dizer: "Eu acredito que vocês consigam achar uma solução justa para todos".

Assim dá-se credibilidade às crianças, que são aceitas como seres humanos, capazes de entender sentimentos, de achar soluções para seus problemas e de fazer escolhas.

Foto: por omninate (Flickr)

0 Curtir

Deixe seu comentário

INFORMAÇÃO BÁSICA SOBRE PROTEÇÃO DE DADOS
Responsável: Verticales Intercom, S.L.
Finalidades:
a) Envio de solicitação ao cliente anunciante.
b) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços próprios.
c) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços de terceiros de diferentes setores de atividade, podendo implicar repasse dos dados pessoais a esses terceiros.
d) Segmentação e elaboração de perfis para fins publicitários e para prospecção comercial.
e) Gestão dos serviços e aplicativos oferecidos pelo Site ao Usuário.
Legitimação: Consentimento do interessado.
Destinatários: Está previsto o repasse dos dados aos clientes anunciantes para atender suas solicitações de informação sobre os serviços anunciados.
Direitos: Tem o direito a acessar, retificar e eliminar os dados ou se opor ao tratamento dos mesmos ou a alguma das finalidades, bem como outros direitos, como se explica na informação adicional.
Informação adicional: É possível consultar a informação adicional e detalhada sobre Proteção de Dados em br.mundopsicologos.com/proteccion_datos

Você não pode deixar de ler...