MundoPsicologos.com
No Google Play Na App Store

Como ter uma amizade positiva entre mãe e filho?

O que é melhor: ser uma mãe autoritária ou a melhor amiga do seu filho? Descubra neste artigo porque especialistas defendem uma postura intermediária, com diálogo mas também com limites.

4 Mai 2016 Atualidades sobre psicologia - Leitura: min.

psicólogos

O desafio de criar um filho se renova a cada dia e, muitas vezes, é difícil definir qual papel você deseja assumir como mãe: figura de autoridade ou melhor amiga. A primeira remonta a uma imagem mais arcaica, na qual há pouco espaço para troca. A última se refere a uma imagem mais moderna, ligada a uma relação mais afetuosa e próxima.

Mas qual é a melhor opção se o que você deseja garantir é o correto desenvolvimento da criança/adolescente? Psicólogos especializados em educação e desenvolvimento defendem uma figura intermediária, que permite criar um vínculo de amizade, mas de forma positiva, sem brechas para o desrespeito e o uso indevido dos papéis.

Para construir as bases de uma amizade positiva, um dos pilares deve ser assentado na flexibilidade e o outro no diálogo. Com eles, será possível aproximar-se do seu filho, mostrar-se como uma pessoa aberta a conversar sobre todos os assuntos e a trocar experiências. Como reflexo, a criança/adolescente não temerá recorrer a você quando necessitar ajuda, saberá que poderá opinar e expressar-se sem medo a retaliações.

Porém há pontos delicados nesta relação de amizade entre mãe e filho que precisam ser constantemente cuidados, pois não é saudável que uma mãe abandone seu papel para ser a "melhor amiga" do filho. Veja a seguir onde colocar limites:

Espaços

Cada um precisa ter seu espaço e o respeito deve ser mútuo. Seu filho deve entender que não é função de mãe estar permanentemente disponível, porque a mãe também é mulher, esposa, amiga, etc. Por sua vez, você deve ser capaz de estimular seu filho a relacionar-se com pessoas de sua idade e viver experiências fora do círculo familiar, que são fundamentais para o desenvolvimento de sua personalidade.

unplashjuangalafa.jpg

Hierarquia

Por mais que haja diálogo e troca, é saudável e recomendável manter a hierarquia na relação mãe-filho. Tendo o cuidado de não abusar da autoridade e ser intransigente, uma mãe jamais deve abrir mão de ser líder e educadora, colocando limites sempre que preciso. Não ter essa figura durante seu desenvolvimento pode ser uma perda irreparável para um filho.

Respeito

Você somente pode cobrar algo por algo que pratica, assim que seja exemplo para seu filho demonstrando que você o respeita. E vigile, porque o excesso de intimidade pode vir seguido pela falta de respeito e de admiração.

Exemplo

Todos precisamos de exemplos a seguir e, como mãe, você tem a responsabilidade de ser um dos primeiros referenciais da vida da criança/adolescente. Use sua sabedoria para manter posturas que despertem a admiração do seu filho, sendo sincera a seus princípios e valores. E estimule a confiança, imprescindível para que esta amizade positiva perdure.

Fotos (ordem de aparição): MundoPsicologos.com e JuanGalafa (Unplash)

0 Curtir

Deixe seu comentário

INFORMAÇÃO BÁSICA SOBRE PROTEÇÃO DE DADOS
Responsável: Verticales Intercom, S.L.
Finalidades:
a) Envio de solicitação ao cliente anunciante.
b) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços próprios.
c) Atividades de publicidade e prospecção comercial, por diferentes meios e canais de comunicação, de produtos e serviços de terceiros de diferentes setores de atividade, podendo implicar repasse dos dados pessoais a esses terceiros.
d) Segmentação e elaboração de perfis para fins publicitários e para prospecção comercial.
e) Gestão dos serviços e aplicativos oferecidos pelo Site ao Usuário.
Legitimação: Consentimento do interessado.
Destinatários: Está previsto o repasse dos dados aos clientes anunciantes para atender suas solicitações de informação sobre os serviços anunciados.
Direitos: Tem o direito a acessar, retificar e eliminar os dados ou se opor ao tratamento dos mesmos ou a alguma das finalidades, bem como outros direitos, como se explica na informação adicional.
Informação adicional: É possível consultar a informação adicional e detalhada sobre Proteção de Dados em br.mundopsicologos.com/proteccion_datos

Você não pode deixar de ler...