Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

​Como saber se a agressividade passou dos limites?

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Onde está o limite para que um comportamento agressivo seja considerado normal? Seria qualquer ação que não resultasse em violência física? Veja a seguir se você tem razão na sua resposta.

29 MAI 2017 · Leitura: min.
​Como saber se a agressividade passou dos limites?

A gressividade é um comportamento inerente à vida, fazendo parte do funcionamento animal e humano. Própria do instinto, possui como função principal a sobrevivência, sendo acionada de maneira involuntária e impulsiva em situações de alerta, nas quais seja necessário defender-se por motivos de disputa ou preservação. Veja a reflexão da psicóloga Maitê Hammoud.

Em contrapartida, por mais que seja natural, além de mal vista no convívio social, a agressividade pode ser extremamente destrutiva. Sendo assim, como saber se minha agressividade passou dos limites?

Manifestações impróprias da agressividade

Considerando que a agressividade deve ser acionada em situações de alerta onde existe a necessidade de defesa, três reflexões podem auxiliar na compreensão se sua agressividade passou dos limites:

  1. Na situação em que você foi agressivo, a agressividade era realmente necessária, sendo a única forma de resposta?
  2. Se tratava de uma situação em que era oferecido perigo?
  3. Havia necessidade de se defender?

Estas simples reflexões são a base para você rever seus comportamentos. A resposta agressiva está vinculada a diversas desorganizações emocionais, podendo ser evitada na maioria das situações, quando ocorre a conquista do equilíbrio entre a razão e emoção. Para isso, a reflexão é o ponto-chave na aquisição de controle sobre as reações impulsivas e emocionais que estão ligadas à agressividade.

Possíveis causas do descontrole

A falta de equilíbrio entre a razão e a emoção favorece a expressão de emoções primitivas e impulsivas como a agressividade. Tal funcionamento pode estar vinculado a diversos fatores internos, tais como:

  • estresse,
  • sobrecarga emocional,
  • traumas,
  • convívio social ou familiar com situações de violência,
  • perturbações no sono ou na alimentação,
  • habilidades de comunicação pouco desenvolvidas.

A presença destes fatores, isolados ou combinados, contribuem para que ocorra a leitura distorcida dos fatos, que acabam transformando situações neutras em situações de alerta aos olhos do agressivo. Também é habitual que, devido à sobrecarga emocional, por sentir-se sensível, sejam desencadeadas reações desproporcionais ou inapropriadas, diante da necessidade de expressão de emoções acumuladas.

shutterstock-534571216.jpg

Como saber onde está o limite?

A melhor maneira de identificar quando um comportamento passou dos limites, pensando nos conceitos do que é normal ou patológico, é avaliando:

  • Os prejuízos que a ação ou comportamento causou a si próprio ou a terceiros.
  • A frequência dos comportamentos. A manifestação é um evento isolado ou já se tornou parte do mecanismo de expressão e reação?
  • A intensidade da resposta, os diferentes graus de violência e destrutividade.

Vale destacar que uma resposta agressiva, fora dos limites da normalidade, pode acarretar vários prejuízos, tanto para a própria pessoa como para quem foi foco da agressividade. Como principais, podemos mencionar:

  • Prejuízos emocionais: arrependimento, remorso, culpa, tristeza;
  • Prejuízos sociais: rompimento de relações afetivas, familiares ou profissionais, isolamento, exclusão;
  • Prejuízos físicos: qualquer ação que viole os direitos básicos de respeito e integridade, causando danos ou lesões físicas.

Agressividade: trata-se apenas de violência física?

Se você se pergunta se a agressividade tem a ver apenas com agressões físicas, a resposta é não! Muitas pessoas deixam de qualificar seu comportamento como agressivo ou acabam permanecendo em situações onde a agressividade está presente por acharem que a agressividade está ligada apenas à violência física. É hora de mudarmos esse conceito!

Agressividade verbal

Reações explosivas desproporcionais, que resultam no aumento do tom de voz ou em palavreados de baixo calão. Estão presentes nas relações afetivas ou profissionais, no trânsito, nas filas, etc.

Agressividade gestual

Expressa-se através de gestos e na linguagem corporal. Costumam ter como resultante a intimidação e o medo daquele que está presente.

Agressividade passiva

O agressivo passivo é aquele que manifesta sua agressividade através de ações que envolvam, principalmente, a sabotagem de alguém. Sem possuir comportamentos explosivos, trata-se de uma pessoa que estrutura situações para prejudicar alguém, seja através da criação de boatos, falas que motivem dúvidas sobre suas capacidades e direitos, prejudicando sua autoestima e autoimagem, induzindo ou motivando comportamentos que possam causar lesões ou prejuízos, etc.

shutterstock-158846858.jpg

Como controlar minha agressividade?

Se você sente que sua agressividade está passando dos limites, não tenha medo de pedir ajuda! Além de sofrimento, prejuízos nas relações, danos a terceiros e isolamento, a agressividade também pode resultar em sérias implicações legais.

Psicoterapia

Com o apoio profissional de um psicólogo, é possível conseguir o alívio do estresse, além de ampliar a reflexão sobre o autoconhecimento e a busca do equilíbrio entre a razão e emoção. O processo favorece o desenvolvimento da habilidade de comunicação, contribuindo para uma forma de expressão assertiva.

Essa mudança permite a empatia necessária para que sejam encontradas formas de expressar suas emoções e pontos de vista de maneira sadia e construtiva.

Respeite seus limites

Você precisa estar em contato com seu corpo. Muitas vezes, a sobrecarrega e o estresse estão tão presentes na rotina que a habilidade de percepção sobre si mesmo é prejudicada, fazendo com que não sejam identificados o grau de tensão e a ausência de qualidade das emoções e expressão.

Ao estar em contato com sua mente e seu corpo, é possível identificar quando se inicia o aumento de tensão, possibilitando o controle prévio de reações explosivas. Nesse sentido, busque artifícios ou atividades que ajudem na reflexão e alívio de estresse, como: alongamentos, caminhadas, meditação, pausas durante o expediente de trabalho, músicas relaxantes, etc.

Esportes e atividades artísticas

Se a agressividade está muito presente em sua essência, buscar uma forma de expressá-la é um ótimo alicerce! Esportes como lutas marciais podem ser uma ótima maneira de canalizar a emoção de maneira sadia. A expressão artística proporciona inúmeros benefícios.

Formas alternativas de comunicação

Ao sentir que não está apto a se expressar de maneira inteligente e assertiva, utilizar de outros recursos de comunicação, como a escrita, podem ser de grande ajuda. É o que vai permitir avaliar o que está sendo dito, fazer as correções necessárias, etc.

Fotos: por MundoPsicologos.com

Escrito por

Maitê Hammoud

Ver perfil
Deixe seu comentário
1 Comentários
  • Jurema Cappelletti

    Uso minha agressividade passiva ao reagir às críticas e a vários motivos de constrangimento, tudo 'disfarçado' pelo meu marido. Estarei tão errada quanto ele? Devo consertar minha maneira de reagir? Uso esse tipo de agressividade para evitar brigas.

últimos artigos sobre agressividade