Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

Como ajudar seu filho a aceitar um novo bebê

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

A chegada de um novo bebê representa um momento de transição para a família, especialmente para o filho mais velho. Veja neste artigo os efeitos desta mudança e como lidar com elas.

7 MAR 2016 · Leitura: min.
Como ajudar seu filho a aceitar um novo bebê

É muito interessante observar o comportamento das crianças com a idade de dois ou três anos, ou um pouco mais velhas, em relação aos seus irmãos ou irmãs mais novos. Aqui, por exemplo, era um menino que até o momento tinha sido o único; e agora ele foi informado de que a cegonha trouxe um novo bebê. Ele olhou para o recém-chegado, para cima e para baixo e, em seguida, declarou decisivamente: a cegonha pode levá-lo novamente". (S. Freud)

A chegada de um novo bebê representa um momento de grande transição para a família, especialmente para o filho mais velho. Trazer para casa a criança número dois é geralmente mais difícil para irmãos mais velhos na fase entre 18 meses e 3 anos de idade. Quanto menores, mais frágil será o "eu psíquico" e maior a dependência do "outro" para a satisfação de suas necessidades afetivas e de segurança básica; quanto mais velhos, maior a consciência de si como ser individual.

Com o recém-chegado, é natural surgir no filho mais velho o sentimento de que está perdendo seu lugar na família, afinal, quem até agora era o centro de toda a atenção ganhou um concorrente. A criança mais velha pode se sentir deixada de lado e pressionada a crescer. Ela interpreta a situação como "menos para mim".

Menos colo, menos sorrisos, menos tempo, menos atenção. O medo da rejeição ou de não ser mais amado incondicionalmente pela mãe ou pai é ameaçador. "E se eles amam o bebê mais do que eu?" É uma verdadeira preocupação para muitas crianças.

Não é incomum apresentarem agressividade, regressão, ciúmes, ambivalência, ou uma combinação destes comportamentos quando a família recebe um novo bebê. Bater, chutar, cuspir, xixi na cama são muito comuns. Quando um novo bebê chega, as crianças podem também experimentar uma incapacidade súbita de fazer coisas simples que antes davam conta sozinhas, elas estão vivendo um período de extrema confusão, sentimentos ambivalentes. Podem lamentar-se, ter crises de choro ou exigir em vez de fazer pedidos claros.

Nestes casos, em vez de uma reação exagerada ao comportamento negativo do seu filho, é importante validar seus sentimentos e ajudá-lo a descobrir formas seguras para expressá-los. É reconfortante quando alguém ouve e compreende suas emoções. Paciência e compreensão vão oferecer ao seu filho segurança. Isso irá ajudá-lo a aceitar o bebê e começar a ver que ele também é uma parte da sua vida, no seu papel de grande irmão ou irmã.

Dicas para reconstruir a segurança

Se você ainda não teve o seu bebê, preparar a criança para a chegada do novo membro da família ajuda e muito. Atitudes simples como: rever álbuns de fotos de bebê de seu primeiro filho, falar sobre atenção e cuidados que tiveram com ele quando da sua chegada é fundamental.

Tente passar algum tempo a sós com o seu filho mais velho regularmente, para que ele não sinta que precisa competir por sua atenção. Tranquilize seu filho mais velho sobre seu lugar na família. Lembre-o que o amor é elástico, há suficiente para todos.

Permita que seu filho mais velho faça parte ativamente da vida do bebê. Peça para ele participar dos cuidados do irmãozinho ou irmã como, por exemplo, ajudando a mudar a fralda, ou lendo para eles. Não faça comparações entre os seus filhos, como, "eu gostaria que você comesse todos os seus alimentos como sua irmã bebê faz". Isso pode fazer o seu filho sentir que não é bom o suficiente.

Não seja rígido, com punições por seu filho agir de forma regredida como um bebê, ou quando estiver agressivo; entenda que é apenas uma maneira natural para lidar com as emoções que ele não entende, como o ciúme.

Não pense que a rivalidade entre irmãos significa que seus filhos não vão ter um bom relacionamento mais tarde, o ciúme é transitório.

Animem-se, esta fase vai passar. O mau comportamento e as equivocadas maneiras de ganhar a atenção nos primeiros meses da chegada de um novo irmão é temporário. Quando a situação parecer difícil, use sua caixa de ferramentas positiva com muito amor, como a validação, a escuta, a fixação de limites, oferecendo uma segunda chance e assim por diante.

É precisamente quando as crianças "se comportam mal", que elas precisam de nós para oferecer-lhes orientação e segurança.

Foto: por born1945 (Flickr)

Escrito por

Psicóloga Elaine Mardegan - NeoLiv

Ver perfil
Deixe seu comentário

últimos artigos sobre ciúmes