Acesso consultório Cadastre grátis seu consultório

5 problemas mais comuns de uma separação

<strong>Artigo revisado</strong> pelo

Artigo revisado pelo Comitê de MundoPsicologos

Quem passa por um processo de separação dificilmente sai dele sem marcas. O desgaste emocional acaba afetando outras esferas da sua vida e é preciso saber reconhecer os sinais.

10 FEV 2016 · Leitura: min.
5 problemas mais comuns de uma separação

O processo de separação não costuma ser um momento fácil para os envolvidos. Brigas, desentendimentos, um colocando a culpa no outro, dificuldades para entrar em acordo sobre temas importantes como divisão dos bens e guarda dos filhos…

É um verdadeiro desgaste emocional, que, se não enfrentado com equilíbrio, pode gerar problemas psíquicos e até traumas que afetem as próximas relações. Quer saber quais são os problemas emocionais mais comumente provocados por uma separação? Confira este artigo e veja dicas importantes de como superar suas dificuldades.

1) Sensação de abandono

É muito difícil passar pelo fim de um relacionamento sem ter a sensação de perda. Para algumas pessoas, este sentimento é tão intenso, que parece que serão engolidas por um buraco e que jamais serão capazes de sair daí.

Todos nós podemos sentir desestruturados pela separação, especialmente se a relação foi longa. A fórmula mais fácil para evitar que a sensação de perda se apodere de nós é recorrer a amigos e familiares.

Seu emocional precisa de um tempo para elaborar o rompimento deste vínculo e apoiar-se em pessoas nas que confia é uma atitude sábia. Isso sim, se você perceber que, ainda assim, está difícil seguir, procure ajuda profissional.

2) Perda de controle

Lamentar é um impulso natural, e é até importante para tomar consciência de tudo o que está sendo perdido. Porém, nunca em excesso, o que acabaria alimentando o sentimento de perda e abandono.

Depende de você recuperar as rédeas da sua vida, retomando suas atividades habituais ainda que, num primeiro momento, não haja vontade. Rapidamente você volverá a sentir-se útil e importante.

3) Não superar por causa da culpa

Não se trata de não aceitar seus erros, de não aproveitar o momento da separação para fazer um balance e identificar tudo o que você poderia ter feito diferente, em prol de uma vida a dois mais agradável e satisfatória.

Porém, é preciso ter cuidado com o sentimento de culpa, porque dificilmente você será o único responsável por um relacionamento ter dado certo ou não. Pense que, se você deu o melhor de si e, ainda sim, a relação não durou, é hora de seguir em frente, valorizando tudo que você viveu e tentando não alimentar as mágoas e o rancor.

Aceite-se e não deprecie qualquer experiência da sua vida. Este é o caminho mais curto para o aprendizado e para a felicidade.

4) Fechar-se para o mundo

A frustração de viver o fim de uma relação pode ser seguida por um sentimento de intolerância e de vitimismo, em que a pessoa fica extremamente seletiva e intolerante com o outro. Se você seguir este caminho, estará fechando as portas do seu mundo para coisas boas, alimentando os pensamentos de "e se tivesse agido diferente", "e se não tivesse feito aquilo".

Afaste a depressão de você. Saia com amigos, veja gente nova, divirta-se, faça atividades físicas. Recuse ser vítima do sistema!

5) Falta de resiliência

Quem não tem uma boa capacidade de se adaptar às adversidades acaba sofrendo muito mais, não somente com o fim de um relacionamento, mas em todas as situações delicadas da vida. Sofre, se exaspera e dificilmente consegue superar um trauma.

Para muitos, a resiliência é uma habilidade natural. Para outros, é preciso um processo de conhecimento e descoberta, desenvolvido em acompanhamentos psicoterapêuticos, para conseguir encontrá-la.

Foto: por soda.film (Flickr)

psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.com

Deixe seu comentário

Últimos artigos sobre Atualidades sobre psicologia